Particularmente, acho incrível como o ano está passando rápido….e as pessoas – que todo fim de ano prometem mudar, conseguir um trabalho melhor, deixar de fumar etc. – continuam as mesmas.Agora que já passamos do meio do ano, a tendência é deixar tudo pro ano que vem: “Ah esse ano já foi, ano que vem eu paro de fumar” e por aí vai….

Acabam se esquecendo que todas essas promessas que foram feitas previamente são promessas vazias…mesmo porque, para deixar de fumar, emagrecer, arrumar um amor, trocar de emprego, não precisa esperar um novo ano.  Não são coisas que somente é possível fazer uma vez ao ano….mas pode-se fazer hoje, neste instante.

Depende somente de nós. E aí está o problema.

O ser humano tem essa tendência natural a protelar, a enrolar, a “deixar pra depois” tudo aquilo que depende sempre dele. Se ele puder depender de terceiros e, melhor ainda, colocar a culpa do que não foi feito em terceiros, perfeito!!!

Por que não lutar e realizar seus desejos agora e não esperar o ano que vem?Dá muito trabalho…melhor esperar mais alguns meses porque até lá, a animação volta e com ela o desejo de mudanças vem junto….quanta auto enganação!Todo mundo sabe que quando a data chega, a animação não vem junto ou se vem, é devido à esperança de descansar, passear, beber etc. Não é esperança de mudança verdadeira, de fazer algo significativo….e se qualquer coisa dá errado, logo no começo do ano, a pessoa já posterga para o outro ano…

Definitivamente, o meio do ano é a melhor época para mudaças. Pois é justamente no meio de um percurso que as surpresas ocorrem, que nos são exigidas as capacidades de raciocínio e adaptabilidade; é nesse contexto que nossas capacidade e habilidades mais importantes são desenvolvidas. Pois é somente no meio de algo já planejado (como um ano que planejamos que seja exatamente igual aos anos anteriores) que as mudanças ocorrem. E quando isso acontece, a tendência é o esbravejar, o xingar, o não aceitamento da situação. A última coisa que vêm a cabeça das pessoas é se adaptar, dançar conforme a música.Mesmo porque é muito mais fácil agir como crianças mimadas, que fazem bico, sentam, choram e xingam ao menor sinal de mudança dos planos dela. Tudo tem que ser exatamente do modo como ela quer, do contrário é birra na certa.

E acho que quando a gente cresce, as coisas não mudam muito. Só o que pode mudar é justamente essa perspectiva de enxergar a vida e as atitudes diante dela. Mas algumas pessoas preferem simplesmente, agirem como criança e esperar que as coisas sempre mudem devido a um fator externo e não por si próprias…

Anúncios