Depois de algum tempo sumido devido a razões profissionais e sobretudo pessoais; eis que retorno por estas paragens….senti realmente muita falta disto.

Senti falta de escrever, de expressar minha idéias aqui…é uma valvula de escape que deixei de usar por estes dias e devo dizer que me fez uma falta danada…

E esse fim de semana me fez refletir um pouco sobre a fragilidade do ser humano, da vida e da maneira como encaramos isso.Vivemos como se fossemos eternos.Sem se preocupar muito – ou nada – com o amanhã. Ou, quando nos preocupamos com o amanhã é com a nossa velhice…e em termos materiais. Acredito que encontrei no máximo 02 (duas) pessoas que se precupem com isso e além. Que se preocupem não somente em deixar para seus futuros filhos, netos e bisnetos uma boa casa, uma quantia em dinheiro, jóias, enfim….essas coisas que todos queremos e almejamos; mas também em deixar um mundo melhor efetivamente para os seus.

Mundo melhor?É…sabe…se preocupar desde já com coisas  como sustentabilidade, meio ambiente, educação e política.

Enfim preocupar-se em ser responsável. Essa na minha opinião, é a bola da vez.

Responsabilidade.

Responsabilidade para com você mesmo, para com sua família, amigos e até mesmo para com aqueles que você nem conhece.

Responsabilidade é comprometimento.

É ter  a noção de que o mundo não gira ao nosso redor e que fazemos parte de algo muito maior. É saber que somos o animal mais nocivo da face da terra e tentar ser um pouco menos destrutivo. Pois tanta destruição e irresponsabilidade fatalmente se voltará, cedo ou tarde, contra nós – ou nossos filhos -.

Aí o incauto diz : “Ah, mas sou responsável, pago as minhas contas, os impostos e digo “por favor, obrigado etc”. Isso não é sinal de responsabilidade; tais coisas são obrigação. Uma vez que, como animais sociais vivemos em grupos e tais regras devem ser seguidas para que todos vivam com um  mínimo de harmonia e civilidade. Se você não cumpre sequer com suas obrigações, faça um favor a si mesmo. Crie vergonha na cara, saia do meu blog e vá pagar suas contas! Pense em suas atitudes e como elas – ou a falta delas – prejudicam não somente a você (com nome “sujo” por exemplo), sua família e toda a sociedade. Pois, se vc não paga suas contas, por exemplo, vc engrossa os índices de inadimplência dos serviços que, por sua vez, para se resguardar aumentam o juros ou mesmo o valor dos serviços para que o lucro não diminua. E quem sofre com isso? Quem cumpre com suas obrigações….ou seja:

Se você não paga suas contas, todos pagam por você.

E isso só me refiro à parte financeira da bagunça. Ter responsabilidade não se resume somente a pagar contas em dia. Mas é sobretudo questão de atitude.

Atitude correta. Na hora certa. Do modo certo.

E saber que você faz isso não por que é obrigação; mas por que é o correto. É sua contribuição enquanto cidadão e ser atuante na sociedade em que está inserido.

É adquirir direitos inclusive para cobrar uma sociedade melhor. Como vou querer uma sociedade melhor, mais justa, mais honesta se eu não faço a minha parte, se não ajudo a melhorar as coisas?

Hmmmmm….meio complicado.

Será?

Creio que inexistem crianças que leiam meu humilde blog, então como adultos que somos, todos sabemos que não é tão simples…mas também está longe de ser complicado.

Mesmo porque a relação simples X complicado é algo muito subjetivo, depende muito da experiência de vida e por consequência do ponto de vista de cada um.

E o que tudo isso tem a ver com a fragilidade do ser humano e não se preocupar somente  em deixar bens materiais para nossos familiares quando formos velhos e tal?

Oras, isso demonstra o quanto somos frageis em nossa ignorãncia. Em pensarmos que somos além de senhores de tudo o que existe neste planeta, eternos e que nossas ações não repercutem no todo.

Demonstra que não temos noção ou não damos valor ao quanto a vida é delicada. Que basta uma peça desse complexo chamado Corpo Humano pifar, que todas essas nossas preocupações viram pó, deixam de existir, cessam completamente.

Responsabilidade é termos a consciência que não somos eternos e portanto um dia tudo o que planejamos vai chegar ao fim; quer tenhamos atingido nossas metas ou não.

É vivermos sim da maneira como achamos melhor, procurando levar da vida somente as coisas que podem nos ser úteis descartando aquilo que não nos serve. Mas isso não deve ser jamais uma desculpa para vivermos de maneira egoísta, centrada em nosso umbigo e preocupados apenas com o agora.

Sei que tudo o que temos é o agora, pois como dizem , talvez o futuro seja algo que nunca chegará…mas devemos nos preocupar com aqueles cujo futuro dependem do nosso agora e de nossas ações nesse momento. Sempre temos alguém que se encaixa nesse perfil. Seja quem for esse alguem merece nosso respeito e consideração o suficiente para repensarmos isso.

Afinal de contas, tentar deixar como legado um mundo melhor, economicamente, ecologiamente e socialmente falando é algo tão dificil assim de atingir?

Acho que com ações individuais – portanto pessoais – não. Mas também não quer dizer que seja fácil.

É questão de cultura, de educação, de mudança de hábitos mesmo.

E como toda mudança de hábito, nos é requerido um tempo para que seja efetuada a mudança de fato.

Mas, se tempo é algo que não sabemos o quanto ainda temos disponível, deve (ou deveria) ser nossa obrigação começar agora.

Eu já comecei….

Anúncios