Por incrível que pareça, foi com um ditado do ET Bilú (“Busquem conhecimento!”) que raciocinei tudo isso abaixo – embora pareça e seja uma brincadeira, essa frase me fez refletir sobre a seriedade do conhecimento:

Interessante e estressante saber que quanto mais eu pesquiso, me atualizo, corro atrás….mais noção eu tenho do quão pouco eu sei a respeito de tudo.

Às vezes parece que não sei nada…nada de nada….nada de verdade…..e às vezes parece que já começo a entender certas coisas….mas ainda assim, começo a entender sem muita certeza a respeito do que estou entendendo, nem como….

O ato de entender, de assimilar as coisas, parece ser muito mais complicado do que realmente é. Usando a lógica e partindo do príncipio que todas as coisas são consequência de coisas realizadas (ou não) antes, veremos tudo aquilo que pretendemos entender, como reação a uma determinada ação, executada ou não por nós.

O entendimento, não raro é confundido com associação. Ou seja, entendemos determinada coisa porque a associamos com algo que já conhecemos e a partir disto, esse conhecimento se torna mais palatável.

Bom, tudo isso é só uma forma de dizer que, quanto mais eu quero crescer, mais começo a estudar e justamente por isso me bate o desespero de saber que de fato, não sei muita coisa daquilo que me propunha a estudar….e o pior….que mesmo aquilo que julgo já conhecer, existem pessoas que conhecem com muito mais profundidade.

Mesmo conhecendo com mais profundidade, certamente conheço alguma coisa que os demais não conhecem e podem aprender comigo.Assim, como posso aprender com eles sobre o que não conheço.

Essa troca de lugares (onde em um momento sou aquele que aprende e em outro aquele que ensina), nada mais é do que um retrato da vida; pois sempre estamos aprendendo e ensinando…a todo momento…em todo lugar….em todas as nossas relações humanas e profissionais.

Preciso descobrir qual o real significado e valor do conhecimento para mim. Qual impacto ele tem na minha vida?Na minha profissão?No meu universo?

E a partir desse valor e significados, descobrir como posso atuar na sociedade de modo que eles me sejam úteis e também úteis ao demais.

Pois devo me recordar sempre que a vida é cíclica e está em constante movimento, exercendo função de ré e juiza ao mesmo tempo. Comigo não é e não seria diferente.

Portanto o uso que faço do meu conhecimento é fundamental e saber que trilhando um longo caminho e que  já deixei alguns kilometros pra trás pode ser, além de reconfortante, uma lição de humildade e contato com a realidade bem maior do que possamos pensar.

Não posso menosprezar o conhecimento que possuo. Mas a janela para a ignorância que ele me abre é simplesmente impossível de ignorar.

E o que faço com esse desespero que aparece perante o oceano de conhecimento que me falta desbravar?

Respiro fundo, conto até 10…e me jogo nesse oceano….e assim, a partir desse momento….pego pra mim, o lema que Dory de “Procurando Nemo” dizia:

“Continue a nadar….continue a nadar…”

 

Anúncios