Toda vez temos nossa vida jogada fora no momento que aceitamos fazer qualquer coisa que provoque dor.

Que  nos frustre.

Que nos faça sentir que somos inferiores a algo ou alguém.

Jogamos fora nossas vidas sempre que nos chateamos, vamos a algum lugar cuja contribuição em nossas vidas seja apenas a sensação de tempo perdido. É nesse momento que nossa vida é jogada fora.

Em todo momento que sentimos que estamos perdendo tempo.

Que perdemos tempo.

O pior é nos darmos conta que perdemos tempo há tempos. E mesmo assim não fazer nada.

Jogamos nossa vida fora quando amamos alguém que não nos ama.

Quando odiamos alguém.

Quando damos mais atenção a alguma pessoa do que ela a nós.

Quando prestamos mais atenção ao que os outros pensam do que em nossas vontades e pensamentos.

Quando sentimos que as coisas poderiam estar ou ser diferentes se tomássemos outra atitude e mesmo assim não fazemos nada.

Nossa vida é jogada fora todo dia quando nos damos conta que estamos fazendo as mesmas coisas nos mesmos horários dos mesmos jeitos. Quando pegamos a mesma rua para ir ao trabalho por exemplo; tal ato se torna tão automático que sequer reparamos no caminho…o caminho acaba sendo somente um meio…e não um fim…quando deveria se tornar também este.

 Que tal mudar de caminho só pra variar? Ou prestar mais atenção nas árvores que estão no caminho que percorremos todo dia…isso com certeza fará que a sensação de tempo perdido se atenue um pouco, pois a cada nova descoberta ou sensação que refresque essa mesmice que nos ataca é sem dúdiva, um momento vivido, um pouco de vida vivida e não vida jogada fora.

Jamais tempo perdido.

Nosso maior erro é quando culpamos a rotina por jogar nossa vida fora.

Na verdade todos sabemos que a culpa é nossa.

Nossa culpa de existir e não necessariamente viver.

Sobreviver apenas.

Não gozar a vida como ela é merecida. E nem deixar que a vida goze da gente um pouco de vez em quando.

É levar tudo muito a sério.

É se esquecer que daqui, não levaremos absolutamente NADA. Muito pelo contrário, deixaremos tudo por aqui, inclusive as boas memórias que as pessoas terão de nós…ou as más lembranças…ou, o que seria absolutamente catastrófico, não deixar lembrança nenhuma. Ser apenas mais um.

Quer um sintoma maior de vida joga fora do que este?

A boa notícia é que, por mais que tenhamos jogado toda nossa vida até esse momento no lixo, podemos desde já nos recolocar e decidirmos o que fazer com nossa vida de agora em diante.

Fazer com que valha a pena ou continuar a simplesmente estar por aqui?

A escolha é nossa SUA!

Pois é…nunca acreditem que é uma escolha coletiva. Esse tipo de ação é mais individual do que nunca (lembrando que indivualidade não é sinônimo de egoísmo).Pois quem pode mudar SUA vida senão você? Eu garanto que não vou muda-la….e nem seu pai…sua mãe…namorada….marido…

Como quanto tempo temos de vida é sempre uma incógnita, sugiro que comecemos a mudar nossa vida neste momento mas terminem de ler o post antes, ok?

Não caia na bobagem de fazer contas, pra saber quantas cagadas já fez..ou vai fazer…viva!

Todo mundo erra. Inclusive você.

Não se arrependa jamais de ter feito algo.Arrependa-se sim de não ter feito algo.

A vida é absolutamente muito curta para confabulações excessivas.

Muita teoria e pouca prática não combinam com vida plena. E o inverso também é verdadeiro.

Ideal é equilibrar e combinar teoria e prática, para vivermos plenamente como quisermos.

Faça sua escolha, enfim.

Porque a minha, eu já fiz!

Abraço!

 

Anúncios