Os sentimentos são coisas inexplicáveis.

As vezes são estranhos, irracionais até. Muitas outras vezes são confusos e especialmente concebidos para fazer com que nos enganemos e/ou nos sintamos bem com eles.

Os sentimentos são imateriais mas mesmo assim são mais reais do que muita coisa palpável. Interferem diretamente na nossa vida a medida que nossa vida é um sucessão deles.

Não têm muita serventia se não forem percebidos, curtidos com o prazer (ou não) que lhes é característico.

O mais engraçado dos sentimentos, é que absolutamente NINGUÉM é imune a eles. Pelo contrário. Todo mundo vive por algum sentimento. Ou em busca do sentimento que julga ideal e necessário para sua vida.

As vezes é amor, outras vezes é conforto (material, sentimental etc). Outras tantas vezes ainda se busca é somente para preencher o vazio que todos nós temos e essa busca acaba por ser um sentimento.

Sentimento de busca, de compreensão, às vezes de compensação.E porquê não, de vazio.

Pior quando nos damos contas que não mandamos nos nossos sentimentos, não temos controle algum sobre eles. E que a história é exatamente o contrário.

Eles que nos controlam e  que mandam na gente.

Coitado daquele que não liga para essas “coisas” ou que é sempre “racional”.

Mal sabe que comete o maior dos erros. Renegar a si mesmo, sua natureza humana e portanto social e inegavelmente sentimental.

Pensando bem , ser “lógico” ou “racional” é ser sentimental, haja visto que tais pessoas em sua quase totalidade se sentem superiores as demais. E como sempre, tendem a se auto enganar com essa “sensação” que nada mais é que um sentimento camuflado.

Quanta ironia!

Quem mais pensa estar “livre” da influência de sentimentos, é quem mais se deixa levar!

Analisando bem, todos nós devíamos nos deixar levar um pouco mais (mas nem tanto) pelos nossos sentimentos. Óbvio que existem momentos que exigem a mais pura razão e o uso do nosso raciocínio, mas isso não acontece 24 horas num dia e nem 07 dias na semana.

Ideal é equilibrarmos os dois.

Não sermos únicamente sentimentais nem únicamente racionais. Pois todo radicalismo é prejudicial e nos priva das facilidades, maravilhas e alegrias que somente o outro lado pode proporcionar.

Os sentimentos são estranhos familiares.

Pois estão sempre conosco e nunca são nossa propriedade. Fazem parte da nossa vida sem necessariamente participar dela. Tomamos decisões baseados neles mas não temos certeza de quanto isso pode ser produtivo ou positivo.Ou negativo.

Sentimentos são estranhos conhecidos.

Mas nem por isso menos divertidos. Ou ousados, ou ainda mais ou menos importantes.

A utilidade e o uso que fazemos deles cabem somente a nós. É algo estritamente pessoal, único e intransferível. Mesmo porque os sentimentos por si mesmos são assim.

Exclusivos.

O nome já indica. Sentimento é pra sentir.

 Não pra pensar a respeito.

E cada um sente de uma maneira diferente pois vê o mundo de maneira diferente. E isso que nos torna únicos: nossa visão do mundo, das coisas, de tudo.

 Como sentimos o mundo e como o mundo nos sente.

Enfim, mais do que sensações, os sentimentos fazem parte do grupo de coisas que fazem com que a vida valha a pena.

Pois sentir e ser sentido não tem preço.

Nossa unicidade reside no fato de nossa ausência (ou excesso) de sentimentos, do uso e do propósito que damos à eles.

E que nossos sentimentos quando empregados corretamente e aliados à razão, nos tornam imbatíveis e faz com que a vida adquira cores completamente e excepcionalmente novas.

Abraço!

 

Anúncios