Nossa vida nem sempre toma os rumos que gostaríamos.Mas os rumos que ela precisa tomar.

A vida é como um ser vivo…que não tem culpa do caminho que toma, porque simplesmente ele pega o caminho que precisa…segue os instintos….baseado, claramente, em nossas atitudes.

Não sei e não consigo descrever as sensações, aventuras e desventuras que vivi até hoje…mas mesmo nos momentos mais difíceis e dolorosos, percebi apenas que a vida vale a pena.

Vale a pena passar por qualquer coisa, qualquer obstáculo, qualquer dificuldade, perdas, dores e dissabores.

Vale a pena, pois depois de todo o mencionado, sempre vem o bem, o amor, a felicidade, a bonança e todas as coisas que gostaria que fossem eternas mas não o são.

Assim como as coisas negativas não são.

Essa “coisa” inconstante que é nossa vida, nos dá motivação e razão para levantarmos todo dia e encararmos nosso leão diario.

Nossa vida só ganhas as cores que possui por essa alternância de positividade e negatividade. Não somos nós quem escolhemos, mas a própria vida o faz, pois nem tudo em nossa vida depende da gente.

Acredito que o mais importante é termos a consciência de que nossos atos e atitudes têm sim influência determinante em nossas vidas, mas não garantem que teremos uma vida boa…ou fácil…ou mesmo 100% positiva.

Essa dualidade, está presente em nossa vida, nossos atos e em nós enquanto seres humanos. Ouso afirmar que está presente no próprio Universo.

Anjos e Demônios são, dentre outras coisas, arquétipos dessa dualidade que foram (e são) utilizado mais como ferramentas para entendermos nossas ações / coisas que acontecem conosco do que entidades sobrenaturais propriamente ditas.

Obvio que o bem e o mal existem. Mas não como muito crêem, pois NINGUÉM é bom 100% do tempo tampouco mal 100% do tempo (que é o que se espera de anjos e demônios respectivamente, não?). Sendo portanto, facetas da dualidade humana e representando aquilo que temos de melhor e pior.

Todo ser humano pode ser um anjo ou um demônio. Depende somente da situação. Por mais que tentemos sempre sermos bons, justos e tudo o mais; atire a primeira pedra quem nunca se deliciou com uma maldade como saber que alguém se deu mal…ou nunca riu ao ver alguém cair, por exemplo.

Hipócrita seria a pessoa que dissesse que não comete conscientemente tais deslizes. Todos o fazem, quer admitamos ou não.

Essa dualidade energética é combustível para a humanidade, pois toda essa energia (tanto positiva quanto negativa),quando corretamente canalizada, faz com que nós homens, avancemos e consigamos fazer coisas até então impensáveis. A evolução da sociedade se resume à canalização das energias criativa e combativa que o ser humano possui.E toda energia é dual.Sempre.

Para toda matéria positiva, existe uma negativa, é física.

Negar essa dualidade é negar nossa essência enquanto seres humanos; é negar nossa condição física, mental e psíquica (até mesmo espiritual).

Não sejamos hipócritas de apenas apontar o dedo para o erro alheio, mas humildes para reconhecer no erro do outro nossos próprios erros; ajudando-o quando possível, sendo também ajudado e não tendo vergonha ou embaraço quando isso ocorrer, pois aí será importante a consciência de que ajudando, somos ajudados e ajudados, estamos ajudando alguém.

É uma relação de troca.

É algo recíproco, pois sempre que ensinamos algo a alguém, também aprendemos algo com essa pessoa.

Que aproveitemos essas chances que a vida nos proporciona!

Abraço!

Anúncios